Ideias para negócios

Design mobile: a chave do sucesso dos aplicativos

O mercado mobile tem crescido em todo mundo. De acordo com uma pesquisa realizada pelo centro de tecnologia da fundação Getúlio Vargas, em 2014, temos mais smartphones do que computadores no Brasil. A pesquisa aponta que, dos 306 milhões de dispositivos, 152 milhões são computadores e os outros 154 milhões são smartphones.

Esses dados apontam para um horizonte promissor para os aplicativos. Afinal, se os hábitos dos consumidores virtuais mudaram tanto, por que continuaríamos a acessar a informação da mesma maneira?

O que motiva as pessoas a usarem aplicativos?

Guarde bem esta palavra com você para sempre: necessidade! Quer dizer então que todas as pessoas que tornaram o Whatsapp famoso tinham uma necessidade? Sim! A necessidade pode ou não ser evidente, muitos nem se dão conta de que a possuem, mas ela existe e norteia todas as áreas de desenvolvimento.

Essa necessidade nem sempre é por algo que entendemos como essencial, pode ser uma necessidade por entretenimento enquanto fazemos o percurso até o trabalho, por exemplo. O que vai lhe apontar qual a necessidade que deverá ser sanada é o estudo do seu público-alvo.

UX design para mobile

UX design pode ser definido como “design focado na experiência do usuário”, isso significa que todos os elementos (como cores, fontes, e espaçamento) são organizados com o objetivo de ampliar a satisfação proporcionada com o uso do seu aplicativo, site, etc. Chamamos de Interface de Usuário (UI) o visual e os componentes que o formam, e de UX design a interação da plataforma com o usuário.

Na prática, ao arquitetarmos um aplicativo mobile, utilizamos o UX design para que não haja ruídos entre o que queremos passar e o que o usuário vai interpretar. Assim, se o objetivo é que o usuário se cadastre no nosso aplicativo, não podemos encher a interface de ícones que não condizem com esse propósito.

Entender sobre essas características é fundamental, pois o UX design é considerado a maneira de fazer design que melhor conversa com as novas tecnologias. Quando se trata de mobile, temos um tempo de resposta muito rápido: ou conseguimos acessar um conteúdo de maneira rápida e eficiente ou nosso aplicativo falhou! E se falhou, houve um erro conceitual ou técnico que deveria ter sido estudado e solucionado, tendo como foco o público-alvo. Esse é o pensamento que deve guiar o desenvolvimento do seu aplicativo.

UX design pode ser definido como “design focado na experiência do usuário”

O design ideal para aplicativos

É essencial dizer que não existe uma fórmula ideal para que aplicativos tenham uma aparência atrativa, entretanto existem conceitos que foram amplamente estudados e são utilizados justamente por serem eficientes. Veja quais são eles:

Cores como uma linguagem própria

Quando acessamos o Google Maps e digitamos um endereço, o marcador que aponta para o local procurado é vermelho e os ícones que marcam pontos de ônibus são azuis. Dessa forma, podemos identificar esses elementos sem muito esforço. Esse foi o significado que o Google deu para as cores.

Devemos dar funções para as cores quando desenvolvemos um aplicativo de modo que, toda vez que o usuário veja um botão amarelo, seja capaz de reconhecer o que significa dentro da linguagem criada. Vemos esse conceito ser muito aplicado em jogos: a poção de vida normalmente é vermelha e aquela que fornece poder mágico, azul.

Um espaço bem utilizado está relacionado a foco

Aproveitar espaço em uma interface está diretamente relacionado a foco. Interfaces abarrotadas de informações tendem a confundir e cansar a vista. Por mais que relutamos em admitir, nem tudo aquilo que consideramos importante de fato é. Sintetizar informações é ter foco e ter foco na construção de um aplicativo implica em selecionar o necessário para que o público entenda aquilo que se quer passar.

Seja simples

A Apple é conhecida pelo seu design “clean”, mas a verdade é que não é esse design que torna a suas interfaces bem resolvidas e sim o conceito por de trás disso, que é algo como: seremos diretos e encontraremos a maneira mais limpa de transmitir essa ideia. Toda vez que surgir uma dúvida sobre como estruturar o seu aplicativo, lembre-se de que ser simples não é pejorativo.

Os aplicativos que fizeram parte do Design Awards 2015 (premiação para os melhores aplicativos) tinham algo em comum: todos conseguiam transmitir as suas ideias de maneira rápida. E até mesmo quando a mensagem é uma reflexão, ela deve ser transmitida sem interferências.

Não existe uma fórmula ideal para que aplicativos tenham uma aparência atrativa

Dicas para desenvolver o seu aplicativo (e lucrar com isso)

1- Estude o seu público-alvo: Todo projeto, por mais geral que pareça, tem um;

2- A necessidade desse público vai dizer como desenvolver as etapas seguintes, a utilização de cores, formas, e a comunicação;

3- Pense em entregar o simples. Qual a maneira mais dinâmica de fazer com que o meu público-alvo tenha a sua necessidade atendida?

4- Os números são seus aliados e não seus inimigos. Faça orçamentos com profissionais e agências para ter opções. Às vezes, as coisas podem ser mais simples ou mais complicadas do que imaginamos, mas só teremos essa noção ao conversar com especialistas;

5- Deixe espaço para melhorias. Assim que seu aplicativo começar a te dar algum lucro, guarde parte do valor para investir. A maioria dos aplicativos com grande aceitação passou por upgrades que fizeram toda a diferença;

6- Saiba ouvir críticas. Ouça aqueles para o qual você projeta e tente distinguir o que será útil para o seu projeto;

Pense nessas questões lembrando que o mercado de mobile pede por inovações e tende a crescer nos próximos anos. É um bom momento para ser criativo!

Comente quais funcionalidades você gostaria de ver em um aplicativo Printi e nos ajude entregar o melhor da customização em todas as áreas.

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar