DesignIdeias para negócios

Design sprint: conheça essa e outras metodologias ágeis

Um dos desafios de quem vai começar um projeto é justamente esse: sair do zero e então traçar um caminho. Saber o que é necessário para dar o pontapé inicial e pensar em todas as fases do desenvolvimento de uma proposta podem gerar muita confusão, que por sua vez, gera muita demora. Para auxiliar diversos tipos de iniciativas foram criadas as metodologias ágeis. Existem várias metodologias ágeis para cuidar de um trabalho do começo ao fim e uma das mais famosas é a criação do Google chamada Design Sprint – mais comum em UI Design ou UX Design – mas existem outras.

Mas antes de mais nada, o que é uma metodologia ágil?

Metodologia ágil nada mais é que uma estrutura que surgiu com o intuito de resolver problemas comuns na área de Tecnologia da Informação, mas que na verdade ocorriam muito em qualquer área: tempo de produção prolongada, sem agenda para as entregas, falhas de comunicação entre os envolvidos do projeto e etc. Ou seja,  a metodologia ágil serve para deixar um time alinhado, com a programação de trabalho estabelecida, sem problemas na comunicação e com foco nas definições feitas no período inicial.

Vamos a alguns tipos?

Scrum

Um dos primeiros métodos que surgiram foi o Scrum e por isso ele é um dos mais populares. Ele exige que os papéis sejam bem definidos no projeto porque o Scrum tem como ponto de partida a escolha de um líder que deve representar os interesses finais do trabalho. Essa pessoa determina o que deve ser feito e o que é prioridade.

Com a primeira parte difinida, as tarefas são distribuídas de acordo com a expertise de cada um e aí são definidos os prazos. No total, eles não devem ultrapassar 4 semanas. Ao final de cada período determinado – os chamados sprints – é feita uma revisão das tarefas. Assim o produto final fica garantido de forma mais rápida que a habitual.

 

LEIA MAIS

6 dicas para quem quer ser um designer

Degradê segue em alta: saiba mais sobre esse estilo no mundo do design

5 regras de Gestalt que todo designer precisa saber

Design X Branding: saiba as diferenças

 

Kanban

O Kanban é um sistema bastante simple e por isso, bastante utilizado por muita gente. Para escolher este método ágil, é preciso gostar de fazer – e cumprir, é claro – checklists. Primeiro você cria um quadro que se reparte entre “to do”, “doing” e “done”, representando respectivamente o que precisa ser feito, o que está sendo realizado e as tarefas que já estão completas.

Com organização e engajamento do time, o método pode ser muito eficiente. Mas é preciso que alguém, ou até mais de uma pessoa, se responsabilize por atualizar os status e passar as atividades para as colunas corretas rapidamente.

Design Sprint

O Design Sprint está em alta. Trata-se da metodologia ágil, que, como citamos, foi criada por uma das empresas Google e é, ao mesmo tempo um pouco mais complexa que as outras, mas também muito mais rápida [Leia um material completo (em inglês)]. Essa pode realmente ser chamada de ágil já que é concluída em apenas 5 dias. Para isso, é preciso bloquear agendas de todos os envolvidos porque são cinco dias completos de dedicação ao projeto para que ele seja de fato concluído de uma vez. A divisão funciona da seguinte forma:

  • Dia 1: Entender o problema
    No primeiro dia do Design Sprint rola um brainstorm. São levantados todos os desafios para alcançar o objetivo final. Uma boa ideia nesse primeiro momento é dividir a equipe por áreas de conhecimento para que cada um fale com propriedade quais serão os possíveis problemas a enfrentar.

 

  • Dia 2: Esboçar
    Depois de compreender qual é problema, chega a hora de discutir as possíveis soluções. No segundo dia de Design Sprint as pessoas escrevem suas ideias de solução individualmente para depois compartilhar com o grupo para discussão.

 

  • Dia 3: Decidir
    O Design Sprint é um método em que todos decidem. Na chegada do meio do caminho, todos votam nas melhores ideias e escolhem quais serão desenvolvidas para serem testadas.

 

  • Dia 4: Prototipar
    O quinto dia é o mais produtivo, por isso vale a dica: escolha trabalhar com ferramentas com as quais a equipe já tenha familiaridade para não travar a agilidade. Pela manhã as atividades são planejadas e ao fim do dia é preciso que estejam prontos protótipos das ideias.

 

  • Dia 5: Testar
    Nessa etapa os protótipos são apresentados aos potenciais usuários do produto. Por meio de entrevistas individuais, no último dia o projeto é validado com feedbacks em tempo real sobre a solução mostrada. No fim do mesmo dia fica decidido o que vale e qual ideia é deixada de lado.

 

Existem outros tipos de metodologias ágeis. Você gostaria de ler mais sobre esse assunto no Blog? Conta pra gente!

Etiquetas

Julia Viana

Editora do Blog da Printi, uma jornalista que encarou um novo papel para falar de mundo gráfico e inovação - sem nunca deixar a criatividade e os assuntos mais comentados do momento de lado.
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar