Novidades

Startup: o que é preciso para começar uma?

No final da década de 30, dois universitários de Stanford, na Califórnia, abriram uma pequena empresa para a produção de osciladores de rádios, usados por engenheiros para testes de áudio. Algumas décadas depois, eles começaram a fabricar impressoras a jato de tinta, criando a marca HP (Hewlett e Packard). Nascia ali a cultura de empreendedorismo na tecnologia e que mudou a história do Vale do Silício. O lugar é conhecido por não só ser o berço das startups, como também um dos mais promissores para esse tipo de mercado.

Startups são empreendimentos diferentes de empresas tradicionais porque geralmente o foco é em tecnologia e inovação. Com modelos de negócios diferenciados, uma startup pode crescer a uma velocidade acima do normal para o mercado. Enquanto uma empresa tradicional cresce cerca de 20% ou 30% (em média), uma startup pode crescer até mais de 200% por ano, principalmente por conta de modelos inovadores de negócio, produtos eficientes e práticas modernas de venda e comercialização.

Cenário nacional de startups

No Brasil, foi um pouco diferente, mas nem por isso deixamos de sermos destaques no segmento. Atualmente, somos o terceiro país com maior número de startups, segundo a última pesquisa conduzida pela Global Entrepreneurship Monitor (GEM), publicada no Brasil pelo Sebrae. Ficamos atrás apenas dos Estados Unidos e China e, em 2012, as startups brasileiras movimentaram mais de R$ 2 bilhões.

Segundo a mesma pesquisa, a taxa de empreendedorismo dos brasileiros adultos é de 40%, ante 20% de 10 anos atrás, indicando uma mudança na cultura por um negócio próprio. Além disso, 70% dos empreendimentos daqui acontecem por uma oportunidade e não por necessidade. Em 2002 esse percentual era de 42%.

O que é preciso para começar?

Inicialmente é preciso ter uma ideia que resolva um problema, vontade, espírito empreendedor e foco. Apesar de a startup nascer de uma ideia, ela pode mudar diversas vezes até que o empreendimento tome forma. Nem sempre é preciso ser um gênio no mundo dos negócios para começar o seu. Contudo, é preciso ter vontade para aprender sobre o segmento em que quer atuar. Confira 4 dicas para tirar sua ideia do papel e ter sucesso na sua startup:

4 dicas para tirar sua ideia do papel e ter sucesso na sua startup

1 – Ideias valem pouco

Muita gente que quer começar um negócio não compartilha a ideia com medo de roubarem, o que é um erro. Isso porque, quanto menos você falar sobre a sua ideia, menores as chances de sucesso. Outras pessoas podem ter a mesma ideia, mas quase nenhuma vai colocá-la em prática. Além disso, o importante é a trajetória a ser seguida e os conceitos que irão tornar o negócio escalável.

2 – Fuja da mesmice

Quando todo mundo compra ações na bolsa, elas tendem a subir devido à procura. O mesmo pode acontecer se o negócio for exatamente igual ou parecido com outros, ou se o diferencial não for forte. O foco da startup é o de criar tendência e não copiar ou seguir uma. Um exemplo foi o que ocorreu com os sites de compras coletivas. Muitos foram criados, mas poucos se destacaram.

3 – Ser simples é ser genial

Ideias complexas nem sempre são sinônimo de inovação. Sem contar que, quanto mais complexa a ideia, maior será o custo operacional e haverá dificuldades em escalar o negócio. Muitas startups renderam muito dinheiro com ideias simples, como o Buscapé, considerada a primeira startup de sucesso do Brasil. A ideia de juntar lojas virtuais deu tão certo que Rogério Borges (fundador) vendeu 91% das ações do Buscapé por US$ 342 milhões ao grupo Napster.

4 – Terá mais chances se fizer algo que gosta

A startup pode proporcionar o emprego dos seus sonhos e há exemplos para demonstrar isso. Muitos negócios nasceram de soluções para problemas próximos à realidade do trabalho do empreendedor e não pelo desejo de ganhar milhões com a ideia. Como o Boo-box, do publicitário brasileiro Marco Gomes, que criou uma maneira de exibir anúncios em sites, portais, redes sociais, blogs e outras plataformas digitais. A startup cresceu, se tornou uma grande empresa e recebeu diversos prêmios.

5 – Questione–se

Uma ideia nunca é perfeita de começo. Precisa ser lapidada até se tornar um negócio tangente. A melhor forma para isso é questionando sua usabilidade, o diferencial, a capacidade dos envolvidos de colocar a ideia em prática, se o negócio trará retorno, entre outras questões. Avalie também o comprometimento dos envolvidos, algo determinante para o sucesso da startup.

Você sabia que a Printi também começou como uma startup? Continue acessando nosso blog e conte a sua experiência ou dificuldades em tornar sua ideia um negócio de sucesso.

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar