A melhor forma de celebrar o dia nacional da fotografia

O dia nacional da fotografia – ou dia do fotógrafo – é uma data importante e nos lembra que a arte deve ser celebrada em todas as suas formas. Por isso, vamos contar um pouco da história dessa atividade que faz parte da vida de todos nós e dicas para trazer essa manifestação artística para dentro sua casa com o destaque que ela merece.

Além disso, trouxemos o olhar de um fotógrafo já conhecido no Blog da Printi: Rafael Rodrigues, que foi nosso primeiro personagem no Printi Indica, projeto que você pode acompanhar no Instagram da Printi.

História do dia da fotografia

Xilogravura mostrando uma vista esquemática de uma câmera daguerreotipo. Ilustração de um livro de Física de 1883 em que A: tubo de latão com lente de condensação acromática; B: ranhura; C: caixa de madeira; D: cabeça fresada; E: placa de vidro fosco para composição da cena; então substituída pela placa fotográfica sensibilizada.
Xilogravura mostra vista esquemática de um daguerreotipo | Imagem: iStock

O Dia nacional da Fotografia é celebrada no dia 8 de janeiro em virtude da chegada do Daguerreotipo – primeiro dispositivo fotográfico a ser anunciado e comercializado ao grande público – ao Brasil, em 1840. Essa estreia ocorreu no Rio de Janeiro, trazido por Louis Compte ao Imperador Dom Pedro II.

Mundialmente a data é celebrada no dia 19 de agosto – dia da chegada do novo processo na Academia de Ciências da França, em Paris, um pouco antes: em 1839.

Levando a fotografia para sua decoração

Fotos enquadradas mudam a sua decoração | Imagem: iStock

Fotografia. A definição básica é: atividade registra momentos corriqueiros ou históricos por meio de habilidade de capturar imagens a partir da arte de combinar luz, ângulo, profundidade e enquadramento… Mas é muito mais que isso!

Além de ser usada para fazer registros e postar nas redes sociais, a foto pode ser o elemento perfeito para sua decoração. Investir em quadros decorativos vai renovar seu ambiente por completo.

Já conhece o Decora Printi? Lá você vai encontrar quadros de diferentes estilos, tamanhos e molduras para fazer o que quiser, você só precisa imaginar – direto do seu celular para a parede! Tudo isso com o melhor custo-benefício do mercado, a partir de uma unidade!

Para que os ambientes fiquem mais personalizados, use fotos suas, da sua família, dos amigos, de paisagens que você visitou ou ainda de algum artista que você goste. Isso pode dar um toque pessoal e único para sua decoração. Precisa de uma dica de fotógrafo talentoso? Continue a leitura. 😉

[UTILIZE O VOUCHER DECORABLOG E FAÇA SEU QUADRO NO DECORA COM 5% DE DESCONTO!]

Olhar fotográfico de Rafão 

Se você acompanha o Blog da Printi, já viu Rafão, o fotógrafo baiano Rafael Rodrigues, estrelando por aqui. A fotografia para ele sempre foi uma grande forma de expressão, de contar histórias. “Nossa visão vai muito mais além do quê costumamos ver. Acho que o registro é muito mais além do quê aquela imagem. E aquilo é só um pedaço. Fotografia faz com o que você consiga imaginar, interpretar, de como foi aquilo para todos. Quem fez a foto, quem está nela e quem está admirando. Estamos só tentando mostrar o que todo mundo vê, mas não sente”, diz.

Fotografia do artista Rafael Rodrigues
Foto de Rafão anterior à pandemia | Imagem: Reprodução/ Instagram

“Estamos só tentando mostrar o que todo mundo vê, mas não sente”

Com essa potência, a fotografia pode transformar. “A Arte em si é uma constante mudança, evolução e renovação. Só que pra isso tudo acontecer, a pessoa tem que se permitir. As fotos sempre vão causar um possível iniciar de mudança nas pessoas. Seja ela ruim ou boa. Falamos de sensações. Já nos comovemos muito com diversas fotografias incríveis, e que com certeza seriam capazes de trazer essa mudança pessoal e global. Penso muito que possa ser um grande passaporte para quem almeja realmente entender e mudar”, afirma o artista.

Tombamento do terreiro de lembá (2016) | Imagem: Reprodução/ Instagram

Ter essas imagens com olhares de alguém – ou seu – pode ser uma ótima experiência. Rafão foi presenteado com uma foto sua enquadrada pelo Decora e gostou muito do resultado. “Acredita que essa é terceira fotografia que tenho enquadrada? [risos]”. “Tenho diversos prints em casa, mas enquadrada foram apenas três. E sempre são marcantes. Cada qual em seu momento de vida pessoal”, conta agradecido.

A fotografia no contexto de pandemia

A vida passou a ser vista da varanda | Imagem: iStock

Com a chegada do novo coronavírus ao Brasil, Rafão percebeu que houve muitas mudanças em seu processo criativo. “Cabeça não pensa muito quando está presa. A rua nos traz inspirações sempre e isso fez muita falta em todo processo. O mundo completamente doente, diversas notícias ruins todos dias, você preso dentro de casa sem poder fazer nada, tudo isso sobrecarrega muito para tentar criar algo. Não conseguimos nos manter leves em nenhum momento”, diz desapontado. “Foi tipo pegar dois pedaços de pau e tentar fazer fogo em lugar úmido. Parece que nunca iria dar certo”.

“Acho que de um modo geral, todos artistas sofreram muito nesse 2020”

Porém, para lidar com o momento, uma dica importante é lidar com isso de uma maneira que não haja cobranças. “Quando brotou aquele susto de direção, só assopramos pra tentar continuar, já o que os ventos não estavam a favor”, diz.

A pandemia confinou artistas | Imagem: iStock

Por bastante tempo ele foi obrigado a parar, cortar agendas e desistir de alguns trabalhos. Aí fez o que conseguia. “Fiz da varanda de casa minha única visão da rua durante 10 meses de quarentena”, conta. “Mas também abriu muito espaço para pesquisar mais, estudar mais, arriscar mais e sem se cobrar muito, já que era a única saída que tínhamos. Acho que de um modo geral, todos artistas sofreram muito nesse 2020. Pesou bastante”, finaliza.

Etiquetas

Julia Viana

Editora do Blog da Printi, uma jornalista que encarou um novo papel para falar de mundo gráfico e inovação - sem nunca deixar a criatividade e os assuntos mais comentados do momento de lado.
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar