Cardápio: dicas para desenvolver um layout eficiente

O design de um cardápio deve refletir o propósito do próprio restaurante, por meio de descrições, layout e cores, seja ele formal, casual ou despojado. Normalmente é baseado na temática ou localização do estabelecimento. 

Antes de iniciar o desenvolvimento

Faça uma pesquisa junto aos seus concorrentes: acesse o site, faça visitas, estude os pratos e valores. Procure semelhanças e diferenças entre os menus.

Prepare-se para desenvolver a arte do seu cardápio

Durante esta primeira análise, encontre respostas par as seguintes perguntas: 

• Como posso diferenciar o meu cardápio dos demais?

Se você não tem resposta para esta pergunta, não prossiga. Este é um ponto fundamental para criar um layout eficiente.

Encontre a resposta não só para a parte visual, mas para os pratos e receitas oferecidos. 

• Os itens do meu cardápio são originais? 

Os itens do seu cardápio não precisam ser totalmente originais, mas podem ter ingredientes que o diferenciem dos demais. Veja quantas lanchonetes oferecem hambúrguer com batatas fritas. E é claro, que este é um item que não pode faltar, mas o seu pode incluir um molho especial e torna-lo especial. 

• Os valores praticados estão competitivos?

O hambúrguer com fritas do seu concorrente custa metade do seu? Então justifique o preço com algo muito especial ou você irá perder clientes.

O desenvolvimento da arte

Com um estudo concreto sobre a concorrência e os itens do cardápio listados, você já tem informações suficientes para criar o layout perfeito. Porém, isso significa utilizar cores, fontes, fotos e a diagramação adequada. Se você não é profissional, a melhor alternativa é contratar o serviço de uma agência especializada ou um designer. 

Cores e fontes 

As cores e fontes escolhidas devem refletir o tema do estabelecimento. Em cardápios de restaurantes mexicanos, por exemplo, cores vibrantes são excelentes opções: vermelho, turquesa, roxo e verde. Para um bistrô francês, experimente as fontes manuscritas, já para um bar, estilos desenhados e menos formais são ideais. 

Cores e dontes para um cardápio

Atenção: cuidado para não selecionar fontes difíceis de ler ou trabalhar com tamanhos pequenos de mais para a leitura. 

• Seções do menu 

Com uma rápida pesquisa é possível perceber que cardápios possuem uma organização padrão: aperitivos, sopas e saladas, pratos principais, sobremesas e bebidas. É importante ter seções claramente definidas, sejam elas por títulos, cores ou contornos.

Destaque os pratos especiais com indicativos de ‘favoritos da casa’ ou ‘especialidade do chef’ para chamar a atenção dos clientes, principalmente os novos.

Atente-se a diagramação. Certifique-se de que a ordem de leitura dos itens está correta e fácil de seguir. Não insira muitas colunas e imagens e evite imagens prontas para garantir a originalidade do cardápio. 

Como diagramar um cardápio

Descrição dos itens 

A descrição dos pratos e lanches devem dar água na boca de qualquer cliente. Não tenha receio de explicar o que consta no item e usar nomes exóticos, se eles se encaixam. Porém, atente-se para não abusar de expressões e confundir seus clientes. Utilize dados históricos ou um pouco de geografia para criar os nomes dos pratos e torna-los exclusivos e mais convidativos. 

Evite fazer descrições muito longas, uma ou duas linhas são suficientes. Permita que seu cliente fique curioso sobre um determinado prato ou ingrediente. Para mais esclarecimentos, os garçons devem estar devidamente preparados para esclarecer ou sugerir algum item.