Novidades

Psicologia das cores: você sabia que cada cor pode alterar sua percepção?

[Atualizado em 05/01/2021]

A psicologia das cores é o estudo que mostra a forma como nosso cérebro identifica e transforma as cores em sensações. Apesar da falta de pesquisas nessa área e de algumas discordâncias, especialistas fizeram algumas descobertas e observações importantes sobre a psicologia das cores e o efeito dela sobre nosso comportamento.

guarda-chuva de arco-íris
A psicologia das cores mostra como elas afetam nossas sensações | Imagem: iStock

Afinal, a cor é um elemento importante no processo de comunicação e um componente com grande influência no nosso cotidiano, interferindo nos sentidos, emoções e decisões.

O conceito se tornou um tópico relevante em marketing, arte, design e em muitas outras áreas e as cores são utilizadas também para que os logos e a identidade visual de uma marca seja lembrada pelo nosso cérebro.

História da psicologia das cores

espectro de cores
As cores têm uma longa história | Imagem: iStock

As cores já eram centro de discussão muito antes do que se imagina. Há registros do século IV aC em que o filósofo Aristóteles falava sobre o azul e o amarelo como cores primárias, relacionando as cores com as polaridades do cotidiano: sol e lua, masculino e feminino. 

Até que entre os séculos XVII e XVIII, Newton criou uma teoria para as cores, quando descobriu que a luz branca, ao passar por um prisma, separava-se em diversas cores. Mais tarde descobriu-se que a mistura e suas combinações resultavam em outros tons.

Porém, a partir de seu espectro de cores, outras teorias surgiram, como a do artista alemão Johann Wolfgang von Goethe – esse sim, passou a explorar o impacto psicológico das cores no humor e nas emoções.

A historiadora de arte, escritora e curadora Dra. Alexandra Loske disse em um artigo para o Antoine Simon Fine Art Advisory, empresa de consultoria de arte do Reino Unido, que depois de Goethe, a teoria “passou a ser sobre qual emoção as cores podem desencadear ligadas aos sentidos e sensibilidades”, em oposição ao radicalismo inicial apresentado por Newton.

Segundo ele, a cor não depende somente da luz e do ambiente, mas também da percepção que temos do objeto. A identificação dos tons é subjetiva, porém os efeitos das cores são universais. As cores quentes, como vermelho, amarelo e laranja são dinâmicas e estimulantes; já as cores frias, como azul, roxo e verde, possuem propriedade calmante, são suaves e estáticas.

O papel das cores no design

Aos olhos do design, a psicologia das cores é fundamental para a composição de um layout e, se bem aplicada, torna-se um atrativo e proporciona maior eficácia ao material. É importante ressaltar que os estímulos proporcionados sofrem alteração de acordo com sua aplicação e combinação. O conceito de contraste é muito bem utilizado pelos profissionais, enriquecendo ainda mais as peças de comunicação. Porém, para que as cores sejam trabalhadas de forma eficiente, é necessário observar: a relação da cor com o tema; a ordem de leitura da página; o perfil do público alvo; os objetivos da comunicação; entre outros.

Psicologia das cores aplicada ao seu negócio

Segundo a especialista Satyendra Singh, da Universidade de Winnipeg, no Canadá, a cor é uma fonte de informação muito influente quando as pessoas estão tomando uma decisão de compra.

Isso ocorre porque clientes geralmente fazem um julgamento inicial sobre um produto depois de apenas 90 segundos de interação com o produto. Pasme: entre 62% e 90% desse julgamento é baseado na cor.

As pessoas costumam ver o logotipo de uma marca ou empresa como uma representação dessa empresa. Sem experiência anterior com um logotipo, começamos a associar uma marca a certas características.

Ou seja, a psicologia das cores é também importante no Branding. Quando alguém diz vermelho, seu cérebro rapidamente associa a alguma marca e podemos apostar que veio McDonalds ou Coca-Cola na sua cabeça, correto? É assim que o Branding das empresas é construído com o uso dessa ferramenta.

Cores diferentes são percebidas de formas diferentes. Por exemplo, tons de vermelho levam a sensações de excitação, enquanto os tons de azul costumam ser associados a sensações de relaxamento. Ambas as emoções são agradáveis, portanto, quaisquer cores podem gerar sentimentos positivos dependendo do seu objetivo.

Por isso a psicologia das cores é também importante no Branding. Quando alguém diz vermelho, seu cérebro rapidamente associa a alguma marca e podemos apostar que veio Coca-Cola na sua cabeça, correto? É assim que o Branding da sua empresa é construído com o uso da influência das cores.

O gráfico abaixo mostra significados percebidos dependendo do uso de cores diferentes, de acordo com o London Image Institute, curso britânico de consultoria de imagem. Veja e utilize a favor da sua marca!

Imagem colorida com textos explicando o significado das cores
O significado das cores e suas sensações.

Etiquetas

Gabrielle Menezes

Social media em formação, estudando design de mídias digitais, amante das redes sociais, cantora e fotógrafa nas horas vagas.
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar