Novidades

Embalagem ideal e alternativas a canudos são foco no mercado

Em fevereiro a Nescau, da Nestlé – que pretende, até 2025 ter 100% de suas embalagens recicláveis – anunciou o uso de canudos de papel para as embalagens de Nescau Prontinho – a versão do achocolatado em caixinha. Junto com a mudança, lançou uma campanha de conscientização sobre a importância do descarte correto de suas embalagens. A iniciativa é uma demonstração do momento do mercado, que busca a embalagem ideal, combinando funcionalidade e ajuda ao meio ambiente.

Imagem: Reprodução

A gigante de alimentos e bebidas pensou há alguns meses em algo que agora vem se tornando lei em algumas cidades. Já existe inclusive um projeto proibindo canudos plásticos em todo o Estado de São Paulo aprovado em Assembleia. A regra já entrou em vigor na capital do Rio de Janeiro deve seguir o mesmo caminho em outros Estados.

A embalagem ideal e o uso do canudinho

O hábito de consumo consciente está sendo muito discutido. Mas por que o foco é o canudo? A resposta é simples: o canudinho é algo muito usado por todo mundo, mas é totalmente dispensável! Ou seja, conseguimos viver sem eles tranquilamente, ao mesmo tempo que o produto está presente na rotina de todos, gerando discussão na sociedade em geral. A partir do canudo conseguimos falar de tantos outros atores poluentes e de produtos de uso único.

Por isso a discussão vai além dos canudos: a embalagem ideal não precisa ter necessariamente um material específico desde que a gente use com consciência. Por exemplo, as canecas com canudo, que estão muito em alta em casamentos, podem ser a embalagem ideal da sua bebida no dia da festa – e muito depois dela! – porque tanto a caneca (de vidro) quanto o canudo, podem ser reutilizados.

LEIA MAIS:
6 estratégias de marketing com sacola retornável

Como otimizar a impressão para preservar o meio ambiente

Sustentabilidade na empresa: elimine os copos descartáveis

Sacolas personalizadas: 3 ideias para encantar com sua ecobag

É bom ficar de olho nesse tipo de tendência do mercado. Pessoalmente, pelo bem do planeta: o plástico demora entre 50 e 200 anos para se decompor e só a troca por um canudinho biodegradável (como de macarrão, por exemplo), reduz esse tempo para 180 dias. Como empresa, além da responsabilidade social, é um fator a mais para atrair a atenção do consumidor além da forma, comunicação e qualidade da embalagem.

Etiquetas

Julia Viana

Editora do Blog da Printi, uma jornalista que encarou um novo papel para falar de mundo gráfico e inovação - sem nunca deixar a criatividade e os assuntos mais comentados do momento de lado.
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar