Novidades

Faces do empreendedorismo: erros e acertos de Anna Delvey em “Inventando Anna” [Eu vi num filme] #3

Inventando Anna | Imagem: Reprodução/ Netflix

Recentemente, a Netflix chamou a atenção de muitos telespectadores ao lançar a minissérie ‘Inventando Anna’. Desde o dia 11 de fevereiro, a história de Anna Delvey, também identificada como Anna Sorokin, tomou telas do mundo todo com as fraudes cometidas pela jovem russa que driblou a elite americana em busca de status, poder e dinheiro. No entanto, um dos pontos de maior destaque é a trajetória da moça durante a jornada da abertura de sua empresa, afinal era essa a base de cada atitude tomada. Mas até onde é válido arriscar tudo? Após estudarmos as ações de Anna, elencamos erros e acertos cometidos pela suposta herdeira alemã no ramo do empreendedorismo. Confira a análise!

Quem é Anna Delvy?

Anna Delvey | Imagem: Reprodução/ Netflix

Nascida em Moscou, na Rússia, Anna Sorokin se mudou para a Alemanha aos 16 anos com o pai, caminhoneiro, e a mãe, dona de uma pequena loja de conveniência. Poucos anos depois, a jovem viveu em Londres e, posteriormente, em Paris, local onde estagiou no ramo da moda. Já com planos em mente, nessa mesma época chegou a trocar o sobrenome por Delvey, que usaria ao entrar nos Estados Unidos.

Foi no verão de 2013 que Anna pisou pela primeira vez em Nova York, especialmente na semana de moda. Com personalidade forte e uma ótima comunicação, a busca por amizades com americanos foi correspondida. Nesse cenário, a jovem pediu transferência para trabalhar na filial estadunidense da revista Purple. E é aí que começa a nossa história!

Sinopse

“Esta é uma história totalmente verídica. Exceto pelas partes que foram completamente inventadas.”

Trailer “Inventando Anna” | Imagem: Reprodução/ Netflix

A história começa quando a jornalista Vivian (Anna Chlumsky) decide investigar a misteriosa Anna Delvey (Julia Garner), que, já presa, vem chamando a atenção nos tablóides de fofoca devido aos seus supostos crimes. A jovem se apresenta como herdeira alemã milionária que está aguardando a chegada de seus 25 anos para que o pai libere sua fortuna, e é com esse argumento que Anna dribla bancos e grandes nomes da elite americana. As fraudes vão à tona após a aprovação de um empréstimo de 40 milhões de dólares, que entrega alguns erros nos tramites e coloca a jovem na cadeia. O propósito de tudo isso? Abrir a Fundação Anna Delvey.

O que você deve considerar ✔️

Primeiro: Criar um plano de negócios

Apesar de qualquer coisa, Anna tinha um plano de negócio muito bem organizado. Do começo ao fim, ela mostra o quanto seus objetivos estavam alinhados a uma ideia já preexistente e promissora. Por isso, entenda que, antes de qualquer coisa, você deve conhecer o seu produto como ninguém, afinal as possibilidades derivam de um propósito.

Segundo: Construir ao invés de promover

Toda mansão começa com um pequeno tijolo, certo? No universo do empreendedorismo não é diferente. Em uma conversa com Alan Reed, Anna recebe algumas questões. “Quais são suas métricas? Seus KPI’s? Ou sua margem de lucro operacional? Já fez uma pesquisa de mercado? Como sua proposta de produto se compara ao que já está disponível no mercado?”, provoca. A princípio, as respostas não saem espontaneamente, mas servem como impulsionamento para a implementação de estratégias que farão com que sua empresa não seja só mais uma. Vale considerar essas perguntas para a construção do seu negócio!

Para você que quer saber mais sobre o assunto, confira conteúdos exclusivos desenvolvidos com profissionais na nossa série ‘Começando Meu Negócio do Zero’ que podem te ajudar:

Passo a passo para criar uma marca de sucesso [Começando meu negócio do zero] #1
Dicas jurídicas para empreendedores [Começando meu negócio do zero] #2
Produtos ideais para começar a empreender [Começando meu negócio do zero] #3
Experiência do cliente: Entenda a importância [Começando meu negócio do zero] #4
Como precificar o produto? [Começando meu negócio do zero] #5
Estratégias de vendas para novos empreendedores [Começando meu negócio do zero] #6
5 dicas para planejar seus conteúdos nas redes sociais [Começando meu negócio do zero] #7
Como definir metas alcançáveis para o seu negócio [Começando meu negócio do zero] #8

Terceiro: Estruturar uma equipe

O projeto Fundação Anna Delvey só foi levado para frente após a montagem de uma equipe especialista. O que isso significa? Bem, você não precisa ter uma pessoa para cada cargo da administração do seu negócio, mas você deve entender que existem diferentes funções a serem exercidas ao abrir uma empresa. Se for você a pessoa a gerir todas as áreas, organize seu tempo para a realização das devidas tarefas.

O que você NÃO deve considerar ❌

Primeiro: Contar com o dinheiro que ainda não tem

O grande erro de Anna foi contar com um dinheiro que ainda não tinha e, consequentemente, aplicar o golpe em outras pessoas para conseguir o que queria. Independente dos seus planos, saiba que tudo é um processo e você não precisa começar com um grande investimento ou buscar a perfeição logo de cara. Dar um passo de cada vez fará com que sua trajetória seja gradual da forma mais positiva possível. Além disso, você se orgulhará em olhar para trás e enxergar o quanto evoluiu e que cada dificuldade serviu como aprendizado. Acredite ou não, muitas das maiores empresas mundiais começaram no porta-malas ou em uma garagem. É o caso de:

Segundo: Não lidar com os fatos

Seja sempre fiel à sua realidade. Anna veio de origem humilde, mas construiu uma personalidade que contrariava todas as suas experiências reais, praticamente ela vivia em uma realidade paralela. É importante não esquecer de onde você veio para saber para onde vai. O que acontece nesse meio tempo deve ser um reflexo da sua honestidade, por isso, no momento de abrir o seu negócio, lide com os fatos e encare os problemas de frente para que no futuro não hajam interferências.

Terceiro: Misturar o lado pessoal e profissional

Para conseguir sucesso profissional, Anna se envolvia de forma pessoal e persuasiva. Embora fosse muito admirada por todos que a rodeavam, ela não soube separar os dois lados e acabou ficando sozinha quando mais precisou. É como dizem: amigos, amigos, negócios à parte.

E aí, você assistiu a minissérie? Compartilhe a sua análise nos comentários!

Etiquetas

Maryene Oliveira

Apaixonada pelo mundo da comunicação, uma futura radialista movida por dança, literatura, desafios e ideias mirabolantes.
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar