Design

Descubra a diferença entre logo, logotipo e logomarca

Logo, logotipo ou logomarca? | Imagem: Printi

As expressões logo, logotipo e “logomarca” são usadas com frequência, mesmo por pessoas que não entendem muito bem o que significam e quais as diferenças entre os termos. Por isso, é comum que haja confusão quando o assunto é tratado em empresas iniciantes que estão na fase de desenvolvimento da identidade visual. Para acabar de uma vez por todas com as dúvidas sobre o assunto, hoje você vai descobrir o que realmente significa cada um desses termos e como são aplicados na prática com o exemplo incrível da loja Mika Serur – empreendimento da Mikaela Serur, que também é embaixadora da Printi. Acompanhe!

Sem tempo para ler? Clique no play abaixo e ouça esse conteúdo na íntegra!

O que é logotipo?

Logo Printi | Imagem: Printi

Logotipo é uma palavra de origem grega composta por dois termos: logos – XYZ – e typos – símbolo ou figura. Sendo assim, a expressão pode ser traduzida como um conceito transmitido através de um símbolo – ou, em linguagem popular, uma criação que representa graficamente uma empresa. Já o termo “logo” de forma individual é apenas uma abreviação desse mesmo termo.

Exercitando

Estamos tão acostumados a ver logotipos que, muitas vezes, acabamos nem prestando atenção. Porém, inconscientemente, associamos a fonte e as cores utilizadas à alguma marca. Veja a imagem abaixo e responda: Qual marca você vê?

Logo abstrato | Imagem: Reprodução Google

Provavelmente, você foi capaz de associar as cores e formas geométricas à marca Google, mesmo sem a utilização das letras.

Composição e design

Note também que, na prática, os logotipos são compostos pelo nome fantasia da empresa com formas, cores e símbolos que a identificam. Portanto, o logotipo é a união de uma tipografia estilizada com símbolos determinados.

Um outro ponto importante, é que o design dos logos não é definido ao acaso, muito pelo contrário. Tudo é muito bem pensado, planejado e desenvolvido para transmitir o máximo das características da empresa e para criar um vínculo de associação na mente do cliente – tal qual o das cores do Google que você identificou anteriormente.

Dessa forma, o logotipo é usado sempre que a empresa precisa ser identificada e facilmente notada pelo público. Ele também deve estar presente em qualquer material gráfico produzido pela empresa, como anúncios, banners, faixas, outdoors e folders.

O que é logomarca?

Já o termo “logomarca” é utilizado de maneira errada no Brasil. O engano geralmente acontece quando alguém tem a intenção de se se referir ao logotipo. No nicho publicitário, essa palavra é rejeitada e são utilizadas as denominações corretas – logotipo ou logo.

Por outro lado, “marca” é um conceito que existe. Trata-se do símbolo que representa a empresa, sem necessariamente estar acompanhado da tipografia. O intuito é o mesmo do logo: fazer a empresa ser facilmente identificada. Quando a marca é bem desenvolvida, você consegue identificar as empresas só de olhar para elas. Por exemplo:

Identifique os logos das marcas | Imagem: Reprodução Google

Aposto que você reconheceu todas! Mas, caso tenha restado alguma dúvida, as imagens acima se tratam das marcas das empresas: Apple, Bradesco, Twitter, Nike, Hering, Android, Kibon e Pepsi.

Case Mika Serur

É importante se atentar ao que o próprio nome da marca remete e o que você pretende passar com isso.

Mikaela Serur

Agora que você já está dentro do conceito de logo, é hora de conhecer o lado prático, afinal, como é o processo de desenvolvimento? Para te explicar, realizamos uma entrevista com a Mikaela Serur, proprietária da Mika Serur e embaixadora da Printi, que trouxe a história da criação de seu logo para te inspirar. “Nosso logo final passa a mensagem de uma marca criativa, espontânea, humana e que transborda arte. Adicionamos como símbolo um godê e algumas gotas de tinta”, afirma.

Logo Mika Serur aplicado | Imagem: Acervo pessoal

Printi: Como foi o desenvolvimento do logo?

Mikaela Serur: Eu fiz uma pesquisa e um planejamento longo para definir todas as características e sensações que gostaria de transmitir com o logo da minha marca e loja. Como a marca tem meu nome, acaba envolvendo muito a minha própria pessoa, gostos pessoais e aquilo que as pessoas associam a mim. Logo de início eu já tinha definido que seria um logo com um toque de criatividade, autenticidade e arte.

Processo de construção | Imagem: Acervo pessoal

MS: Definindo as cores e a tipografia, comecei a testar diferentes formatos e possibilidades do que faria mais sentido sendo aplicado aos meus produtos. Aqui nesse momento entra outra dica: planejar e desenvolver o logo de acordo com o que faz sentido para os produtos e serviços da marca. Se são produtos grandes ou pequenos, produtos físicos ou digitais, tudo isso vai influenciar na maneira como devemos criar o logo para a aplicação fazer sentido! Apesar de ter utilizado uma tipografia específica, eu redesenhei ela a mão para trazer traços imperfeitos que só nossas mãos são capazes de criar, trazendo o aspecto de algo espontâneo e solto.

P: Como foi a escolha da cor?

MS: Como se tratava de uma marca muito pessoal, escolhi cores que já utilizava há muito tempo e que gosto. O lilás veio como cor protagonista, transmitindo criatividade e delicadeza. Escolhi algumas cores secundárias como o salmão e um bege para dar uma neutralidade também. Na hora de escolher cores, é claro que os gostos do cliente devem ser levados em consideração, mas também precisamos tomar cuidado com o que cada cor transmite individualmente e em conjunto também. Sim! Cada combinação de cores pode gerar sensações diferentes, por isso é importante estudarmos teoria das cores e as cores na nossa cultura. Cada cultura, em países ou até estados diferentes, podem interpretar cores de maneiras diferentes. O trabalho do designer aqui é de muita sensibilidade e percepção!

Logo final Mika Serur | Imagem: Acervo pessoal

P: E da tipografia?

MS: Desde o início eu já tinha em mente trabalhar com fontes que trouxessem um aspecto dramático, artístico, quase teatral e um pouco retrô também. Pesquisei e testei inúmeras fontes até encontrar a que fez mais sentido. Além de utilizar a fonte no logo, usamos em alguns materiais e títulos de apoio nas redes sociais da loja. Nesse caso, foi uma fonte paga, mas existem inúmeras opções gratuitas também que podem ser utilizadas. É importante checar se a fonte é gratuita somente para uso pessoal ou para uso comercial também.

Composição gráfica | Imagem: Acervo pessoal

P: Quais são as características essenciais que um logo deve ter?

MS: É importante o logo ter clareza e não ser algo difícil de entender. Acredito muito na simplicidade das coisas, então evito ideias mirabolantes ou complexas demais, porque isso pode acabar prejudicando justamente a legibilidade. É interessante também ter versões diferentes do mesmo logo, como uma versão reduzida, monocromática, vertical e horizontal. Temos que pensar na maioria das aplicações, como será o resultado digitalmente e impresso em um material gráfico. Detalhes muito pequenos também devem ser evitados, porque caso seja necessário utilizar o logo em materiais pequenos, pode ser que a visibilidade não fique muito boa.

Você já conhecia as diferenças? Deixe aqui o seu comentário!

[Post de 15/07/2015 atualizado em 27/01/2022]

Etiquetas

Maryene Oliveira

Apaixonada pelo mundo da comunicação, uma futura radialista movida por dança, literatura, desafios e ideias mirabolantes.
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar