Biblioteca

Como surgiram as cores?

Não, meu amigo! As cores não apareceram de repente aí no seu computador para que você usasse em projetos de design. O Adobe Color é muito útil, mas não foi ele que inventou tudo que você tem disponível na máquina para trabalhar. As cores surgiram de uma maneira muito mais analógica e trabalhosa. Vem entender como surgiram as cores.

O ano é 2019: quando ligamos o computador, temos disponíveis milhões te teclas alfanuméricas – as chamadas códigos Hex, número de seis dígitos formado por três bytes em hexadecimal, usado em documentos HTML, CSS e em outras aplicações em computação – que são responsáveis por colorir nosso mundo (pelo menos de maneira digital). Ou seja, para colorir alguma coisa digitalmente, o processo é parecido com dar um Ctrl + C. Contudo, foi fora do mundo digital que as cores surgiram.

 

 

Acredita-se que os artistas inventaram pigmentos usando uma combinação de minerais, gordura animal e carvão queimado há 40.000 anos. Eles trituravam pedras até virarem pó e misturavam com óleo ou água para fazer tinta. Antes de serem embutidas em latas ou nos computadores, era isso: as cores vinham da natureza.

 

LEIA MAIS

Como a cor influencia nos resultados da sua marca [Série Cores #1]

Como branding e psicologia das cores se relacionam? [Série Cores #2]

Psicologia das cores e a personalidade da sua marca [Série Cores #3]

Psicologia das cores: você sabia que cada cor pode alterar sua percepção?

Como configurar o Preto no CMYK para impressão

 

A história de algumas cores

 

Cada cor tem uma história específica e suas versões.  Por exemplo, a cor ultramar (um azul brilhante) era feito com o pó de uma pedra preciosa chamada lápis-lazúli. Certo tom de amarelo vinha do açafrão esmagado; algumas fontes afirmam que o marrom vinha de múmias egípcias trituradas. O preto pode ter surgido de madeira queimada e fuligem; o roxo, de conchas moídas e assim por diante.

 

Púrpura
Os imperadores romanos e fenícios adoravam que esse corante vinho não desaparecesse. Mas fazer apenas uma onça significa ordenhar ou esmagar 250.000 caracóis marinhos Murex, que usam seu muco colorido para proteger os ovos e sedar as presas.

 

Ultramarino
O primeiro uso documentado de pigmento azul é o uso de azurita azul, um mineral natural vívido e azul profundo, amplamente utilizado no Egito antigo para decoração e joias. Mais tarde, no Renascimento, o mineral foi esmagado e usado como o caro pigmento de tinta.

 

Amarelo Imperial
Ao derivar o pigmento da argila, acredita-se que o amarelo seja uma das primeiras cores já usadas como tinta na arte rupestre pré-histórica, com a primeira aplicação com mais de 17.300 anos.

 

Verde de Scheele
Em 1775 o químico sueco Carl Wilhelm Scheele descobriu o arsenito de cobre. Esta substância possibilitava a criação de um pigmento verde, mas a cor trazia consigo o perigo do arsênico, extremamente nocivo e já naquela época utilizado na composição de venenos para  ratos. Ao longo do século XIX surgiram inúmeros relatos de pessoas com a saúde afetada por consequência do pigmento, que chegou a ser chamado de “a cor da morte”.

 

Malva
O químico William Perkin acidentalmente inventou primeiro corante inteiramente sintético a ser produzido. Os vitorianos o adoravam, mas o que hoje chamamos de “malva” hoje é um tom mais recatado.

 

Trivia sobre pigmentos

 

Uma trivia sobre um bicho que entende muito de cor: o camaleão. Porque a gente sabe que todo mundo adora uma informação sobre cultura geral. 😉

De acordo com a Revista Super Interessante, o bicho consegue controlar a movimentação de pigmentos que dão cores às células de sua pele. Assim como outros animais (rãs, polvos, lulas, vários insetos e outros lagartos), o camaleão possui a capacidade de imitar a cor do ambiente para se confundir com ele.

Etiquetas

Julia Viana

Editora do Blog da Printi, uma jornalista que encarou um novo papel para falar de mundo gráfico e inovação - sem nunca deixar a criatividade e os assuntos mais comentados do momento de lado.
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar